sábado, 29 de novembro de 2008

MEDICAMENTOS USADOS NO TRATAMENTO DO LÚPUS (VII) PULSOTERAPIA

Como essas drogas atuam

Imuran
O Imuran é menos potente e menos efetivo do que o Cytoxan (Ciclofosfamida) mas, de longe, produz bem menos efeitos colaterais. Seu uso pode causar uma diminuição na contagem de glóbulos vermelhos, leucócitos e plaquetas, podendo aumentar o risco do desenvolvimento de linfoma (tumor maligno envolvendo os gânglios linfáticos, fígado e baço). Contudo, é muito bem tolerado na maioria dos casos. Exames de sangue para determinar a contagem de glóbulos brancos, plaquetas e glóbulos vermelhos devem ser feitos regularmente em pacientes que recebem o Imuran. Ajustes na dosagem são feitos se os exames indicarem uma séria diminuição nessa contagem sangüínea.

O Imuran também é usado para tratar hepatite lúpica, artrite reumatóide e outras desordens auto-imunes, e para reduzir a quantidade de esteróides ministrada.

Cytoxan
O Cytoxan pode causar efeitos colaterais, mas é bem tolerado pela maioria dos pacientes. Como o Imuran, pode causar distúrbios no estômago (mal-estar), além de uma diminuição na contagem de glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas. Exames de sangue para determinar essas contagens devem ser efetuadas mensalmente nos pacientes que recebem esse medicamento. Se a contagem sangüínea estiver muito baixa a dosagem do remédio é ajustada, fazendo com que o sangue volte aos níveis normais.

Os pacientes tratados com cytoxan, têm um maior risco de desenvolver leucemia, câncer na bexiga e outros tumores. Cytoxan também pode causar uma esterilidade temporária, e até mesmo permanente, em homens ou mulheres, evitando a possibilidade de terem filhos. Também pode causar danos a um feto em desenvolvimento se a mulher engravidar acidentalmente durante o tratamento com essa droga. O uso cytoxan pode causar sangramentos na bexiga mas, normalmente, isso pode ser evitado com a ingestão de grandes quantidades de água. O cytoxan também pode predispor o paciente a desenvolver herpes, apresentando bolhas doloridas na pele. Também pode causar queda de cabelos. Como o Imuran, o uso do cytoxan pode predispor o paciente a desenvolver infecções incomuns, particularmente quando é usado em combinação com altas doses de esteróides.

125 a 150 miligramas (mg) diariamente, ministradas oralmente, é uma típica dose de cytoxan. 75 mg ou menos pode ser considerada como uma dose baixa. De preferência, o cytoxan deve ser ingerido pela manhã e não à noite, quando a ingestão de líquidos é menor. O cytoxan e o imuran raramente são usados juntos, exceto em algumas condições experimentais. O cytoxan (mas não o imuran) pode ser ministrado em doses muito mais altas mensalmente, por via intravenosa. Isso pode ser muito mais efetivo para tratar problemas graves nos rins, e pode ajudar a evitar alguns efeitos colaterais que ocorrem quando a droga é ministradas diariamente por via oral.

Drogas correlatas
Outras drogas citotóxicas relacionadas à ciclofosfamida (cytoxan) são chlorambucil (Leukeran) e {nitrogen mustard} (Mustargen). O Leukeran tem efeitos colaterais similares aos do Cytoxan. Como afirmado acima, os pacientes que recebem ciclofosfamida (Cytoxan), azathioprine (Imuran), chlorambucil (Leukeran) ou Mustargen, devem ter sua contagem sangüínea monitorada mensalmente. Em resposta aos exames e aos efeitos colaterais, a dosagem dessas drogas é ajustada para prevenir ou reverter uma toxidade mais grave.

Methotrexate é normalmente ministrado oralmente uma vez por semana, embora também possa ser ministrado através de injeções. A dosagem é geralmente de 7,5 a 20 miligramas semanais. O Methotrexate é bem tolerado pela maioria dos pacientes. O seu uso no tratamento do lúpus ainda não foi exaustivamente testado, mas é comumente dado para o tratamento da artrite reumatóide e tem mostrado melhoras nas dores das juntas e nos inchaços. Ele não predispõe o paciente ao desenvolvimento de malignidades, contudo, doenças no fígado e reações nos pulmões podem ocorrer com o uso desse medicamento, além dele ser sensível à luz solar. Pode ser preciso reduzir a dose se houver algum problema nos rins. A contagem sangüínea também deve ser efetuada mensalmente nos pacientes que recebem essa droga e a dosagem deve ser alterada ao serem constatados efeitos colaterais.

Conclusão
Os medicamentos citotóxicos não são necessários e não deveriam ser usados nos casos mais brandos de lúpus, eles podem ser muito úteis quando os rins ou outros órgãos principais são afetados, ou ainda quando o lúpus é muito ativo e sintomático. Algumas vezes, uma biópsia dos rins ou de outros tecidos é necessária antes de se decidir pelo uso desses medicamentos. Mesmo nos casos mais sérios, com envolvimento de órgãos principais, eles não devem ser usados indefinidamente sem uma boa razão.

Portanto, é importante avaliar os benefícios e os riscos que envolvem uma terapia desse tipo. Os médicos usam o termo "taxa de custo-benefício" para descrever a comparação dos efeitos colaterais com os benefícios do medicamento. Apesar dessas drogas não serem aprovadas pelo FDA (órgão americano de controle de remédios), elas são comumente usadas e aceitas como uma prática padrão. Pessoas com lúpus deveriam discutir com seus médicos o índice de custo-benefício desse medicamentos.

2 comentários:

clodoaldo disse...

Dra. Eidina, tenho lupus, e a +/- 5 anos desenvolveu psoríase em mim. Já consultei um dermatologista que me indicou apenas psorex.
Venho sofrendo muito com esse problema, pois parece aumentar a cada dia mesmo com o uso do psorex.
Tenho uma amiga que tambem tem psoríase, e toma o medicamento chamado METHOTREXATE,que lhe está dando grande resultado. Gostaria de saber, se por eu ter lupus, eu teria algum problema de usá-lo ?
Por favor me ajude, espero sua resposta. (duarte-cl@hotmail.com)

lene disse...

ola dra ...gostaria de saber oque é lupus eritematoso disseminado (sistemico) desde ja agradeço