segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

VIVENDO BEM COM O LÚPUS

Vivendo Bem Com o Lúpus
O que é bem-estar?
Como uma pessoa pode viver bem tendo uma doença crônica? Para muitas pessoas com lúpus, viver bem significa adotar uma filosofia de bem-estar. Bem-estar é uma abordagem para se viver e o primeiro passo para encontrar o bem-estar é entender o que significa "viver bem". Uma vida com bem-estar requer atenção com o corpo, com a mente e com o espírito. Requer um planejamento bem pensado e um cuidadoso ajuste de sua rotina diária. Viver bem com lúpus é difícil algumas vezes, mas é possível e vale o esforço.

Bem-estar significa tomar a decisão de estar o melhor que você puder e assumir responsabilidades por fazer o que ajuda e o que dificulta a sua vida. Isto requer que você entenda e aceite que tudo que você faz para o seu corpo, pensa em sua mente e acredita em seu coração, tem um impacto em seu estado de saúde.

A saúde é afetada pelo seu bem-estar, mas o bem-estar é muito maior do que a saúde. Pessoas doentes, debilitadas, e mesmo aquelas nos últimos dias de suas vidas podem experimentar o bem-estar. Bem-estar é fazer opções e cumprir compromissos que melhoram sua vida. Viver bem com os desafios do lúpus requer entendimento do impacto que uma doença crônica tem no corpo, na mente e no espírito. Essas três áreas são inseparáveis; a melhora em uma delas leva à melhora em outras.

O bem-estar não "acontece", precisa ser trabalhado dia-a-dia. Deve ser planejado com uma visão positiva e com uma avaliação realista do seu potencial. Viver bem com lúpus requer um plano balanceado. Manter esse balanceamento inclui: identificar o que você quer fazer em cada área, determinar objetivos e estabelecer um compromisso com si mesmo. Em essência, você faz um comprometimento de começar a viver e apreciar uma vida de bem-estar.
Este comprometimento coloca você no controle, ao invés de ser controlado pela doença.

O bem-estar da mente
As pessoas com lúpus podem não ser responsáveis pelo desenvolvimento da doença, mas são responsáveis pela maneira como reagem a ela. Atitudes, sentimentos e pensamentos têm impacto sobre a saúde. A mente orientada para o bem-estar é aquela que opta por ver o mundo de uma maneira positiva. Viver bem com lúpus tem mais a ver com suas facilidades do que com suas dificuldades. Optar por se ver como uma pessoa ativa e responsável por si mesmo ou como uma vítima da doença, é uma escolha pessoal.

O planejamento para o bem-estar inclui pensar nos seus comprometimentos diariamente, procurando encontrar alternativas para economizar suas energias. Visualize o que precisa ser feito e decida se você está apto para tal. Seja flexível; se você não tem força para fazer algo hoje, esse algo pode esperar. Ou faça por etapas; faça o que você puder agora e deixe o resto para depois. Se você se esforça quando não tem energia física para completar a tarefa, pode ter que pagar por isso com mais fadiga. Uma atitude positiva combinada com um plano de ação bem pensado vai aumentar as chances de sucesso.

Suas atitudes, pensamentos e sentimentos são muito particulares, e você é livre para alterá-los à medida que desenvolve um bem-estar mental. Se você se sentir com medo, chateado, confuso, cansado ou deprimido em sua vida, não há nada dizendo que você tem que manter esses pensamentos e sentimentos, sendo controlado por eles. Você pode optar por mudar. Você pode tomar a decisão de tomar uma nova atitude, e então seguir os passos para que essas mudanças aconteçam. Viver é uma opção, e ela é toda sua.

O bem-estar do corpo
Para operar eficientemente o corpo humano precisa de condicionamento físico, alimentação e controle do estresse. O condicionamento físico é importante pois ajuda a prevenir efeitos indesejáveis, tais como obesidade, fraqueza dos músculos, indisposição ou fadiga. Ele também pode causar efeitos desejáveis como aumento de histamina, vitalidade e confiança. As dores nas juntas, fadiga e fraqueza dos músculos, freqüentemente encontrados em pessoas com lúpus, podem levá-las à inatividade e a uma diminuição do condicionamento físico. O descanso é um componente importante para controlar a fadiga. Pode ser necessário aumentar a duração e a quantidade dos períodos de descanso em uma crise de lúpus. Tão importante quanto o descanso, é importante encontrar um equilíbrio entre um descanso suficiente e um descanso excessivo. Muito descanso é ruim para as juntas, músculos, ossos e para o condicionamento físico geral. A falta de condicionamento físico pode ser indicada por um ganho inesperado de peso, dores musculares após esforço maior ou constante, ou por perda de força ou resistência.

Estudos mostram que o condicionamento físico pode ser melhorado em pessoas com doenças crônicas sem nenhum efeito colateral. Seu médico, ou terapeuta, pode recomendar um programa individualizado de exercícios em casa. As chaves para alcançar seu nível ideal de condicionamento são:
- achar uma atividade que interessa a você;
- fazer um comprometimento (e colocá-lo por escrito) com seu plano de exercícios;
- reconhecer desculpas que você poderia usar para burlar o seu plano;
- listar os benefícios que você espera do condicionamento;
- registrar seu progresso. Você tem que se orgulhar de estar sob controle, ficando mais forte e com o melhor condicionamento possível com lúpus; (Continua...)

5 comentários:

Tony Madureira disse...

Olá,

Espero que estejas melhor da gripe que te acompanha.

Teus post's são muito bons.
Parabéns!

Bjs

Anônimo disse...

Enaltecer as qualidades da Eidina por meio de elogios é comum e sincero por quem a conhece.
Querer o bem do outro é sua marca. Há mais de 6 anos, conheci a Eidina através da Internet. Pesquisando por lúpus, encontrei depoimentos e reportagens inclusive com fotos sobre sua luta constante contra a doença. Por iniciativa dela conseguimos realizar os encontros com outros lúpicos aqui no Rio de Janeiro. E por incrível coincidência, meses depois destes encontros, sua filha a DANI, foi minha aluna em uma Universidade aqui no Rio de Janeiro.
Recentemente conversei por telefone com as duas e soube deste BLOG e dos Trabalhos de Internet desenvolvidos pela DANIELA. PARABÉNS EIDINA POR MAIS ESTA INICIATIVA. Parabéns Dani pelo seu sucesso profissional. Eu sei das dificuldades encontradas por você durante sua formação na Faculdade e PARABÉNS também pela “parceria”com a sua mãe para tornar real este Blog.
Beijos do amigo Flavio.

sonia disse...

olá, meu nome é sonia e eu tenho lupus discóide.

Anônimo disse...

Bom dia Êidina!

Moro em Manaus, e meu filho teve uma filha com uma moça de quem gosto muito. Não estão juntos, mas se dao mto bem...Semana passada, ela recebeu diagnostico que é portadora de lupus...Estou arrasada, juntamente com tda familia. Ela está mto deprimida, e navegando na net, encontrei seu site que mto me interessou. Tenho uma dúvida: Vc tem lupus?? se positivo, como superou a fase da descoberta? desejo muito aprender com as experiencias para que possa ajudar a mae da minha netinha, que hj tem 02 aninhos. Fico mto preocupada sabe, essa criança precisa mto dessa mae. E vejo que esta moça de apenas 19 anos, está mto deprimida.

Me ajude!
Deus te abençoe sempre!
Abçs
lmedeiros35@hotmail.com

Anônimo disse...

oi tudo bem minha irma descobriu que tem lupus tem um ano faz tratamento e ela tem crize direto e o lupus afetou os orgaos tem depressao quando fica com crize como posso ajudar minha irma que tem 26 anos tem 2 filhos pequenos ela diz que tem a sencacao que vai morre porque a medica dela disse que o lupus morre facil menus anos que uma pessoa normal sofro junto com minha irma
meu imail (daisy-ane@hotmail.com)