segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

LÚPUS E SEXO

O Sexo e o Lúpus
Extraído do livro LEARNING ABOUT LUPUS:

Muitos casais passam por algum tipo de dificuldade sexual quando um dos parceiros tem uma doença crônica como o lúpus. A sexualidade pode ser afetada pelos sintomas da doença, pelos medicamentos e/ou por preocupações de ordem psicológica. Os sintomas do lúpus que podem influenciar a atividade sexual incluem: ulcerações orais, ulcerações vaginais, artrite, síndrome de Sjogren, e fenômeno de Raynaud. Cada um desses problemas será discutido em detalhes.
As ulcerações orais ocorrem em cerca de 10-15% dos pacientes com lúpus. Elas podem interferir nas sensações de prazer oral. A prescrição de algum produto para higiene bucal com antibióticos e/ou esteróides pode ser necessária e podem ajudar a curar essas ulcerações. Lembre-se, elas não duram para sempre!

As ulcerações vaginais estão presentes em menos de 5% dos pacientes com lúpus. Raramente são doloridas mas, quando são, podem interferir na relação. Um creme ou outro medicamento à base de esteróide pode ser usado para tratá-las. Formas alternativas de sexo podem ser utilizadas até que a cura seja alcançada.

As dores nas juntas e a artrite que normalmente acompanham o lúpus podem responder bem a banhos quentes, um pouco de exercícios para aquecimento e à ingestão de medicamentos antiinflamatórios algum tempo antes da atividade sexual.

A falta de lubrificação vaginal associada à Síndrome de Sjogren responde bem ao uso de um lubrificante à base de água, que não precisa ser removido pois é absorvido pelos tecidos (lubrificantes do tipo vaselina devem ser evitados uma vez que eles podem induzir à infecções). Lubrificantes à base de água podem ser encontrados em farmácias e supermercados.
Pessoas que têm o fenômeno de Raynaud apresentam uma condição onde há um estreitamento dos vasos sangüíneos quando estes são expostos ao frio, isso pode causar bastante dor. Ele faz com que os dedos das mãos e dos pés mudem de cor (primeiro branco, depois azul, então vermelho). Aqui estão algumas soluções: evite praticar sexo em ambiente com ar refrigerado; use meias se seus pés são sensíveis ao frio; tente um banho morno (não quente) antes do ato sexual, para ajudar a dilatar os vasos sangüíneos. Durante o sexo, o sangue se concentra na área genital e menos sangue vai para as extremidades (dedos das mãos e pés). Prefira a posição inferior (por baixo) -- isso ajuda a evitar pressão sobre as mãos e pés, que reduz a circulação nesses membros.

Os medicamentos certamente influenciam na vida sexual. Tranqüilizantes, anti-hipertensivos (drogas que baixam a pressão sangüínea) e corticosteróides (prednisona) podem afetar o desejo (libido) e a performance sexual. Algumas drogas contra a hipertensão diminuem a libido em homens e mulheres, além de provocar uma impotência temporária. É melhor discutir o uso dessas drogas com o seu médico, que pode prescrever outro medicamento que não interfira na sua performance sexual. Uma pequena porcentagem de homens e mulheres experimenta mudanças na libido com o uso de esteróides. Se você sentir qualquer alteração converse com o seu médico.

Fatores psicológicos também têm uma poderosa influência para uma vida sexual satisfatória. Se a pessoa com lúpus tiver desenvolvido baixa estima, insatisfação com a aparência do seu corpo, sentimento de inutilidade, depressão e fadiga, o relacionamento sexual certamente será afetado. O paciente pode se afastar de seu parceiro(a). O parceiro saudável pode achar que esse afastamento significa rejeição, perda de afetividade e amor. Se não houver uma boa comunicação, o relacionamento pode estar em sério perigo.

O prazer sexual é um importante aspecto de qualquer relacionamento. Alguns estudos relatam que pacientes com artrite ficam livres de dores nas juntas por até três meses após relação sexual. O sexo, portante, parece ter um efeito terapêutico. Mesmo quando a relação não é possível, outras formas de expressão sexual, tais como, carícias, abraços, afagos, beijos e proximidade, podem ajudar a reforçar seu senso de auto-estima e de ser desejável.
Muitas publicações contêm inúmeras sugestões para diferentes métodos de expressão sexual. A Arthritis Foundation tem uma publicação chamada "Living and Loving with Arthritis". Essa brochura traz informações sobre manifestações sexuais, ilustrações de posições mais confortáveis e algumas orientações sobre como lidar com os desafios do sexo. Também oferece sugestões para melhorar o relacionamento sexual.

A sexualidade é parte da vida. É uma atividade normal da vida diária. Se os problemas sexuais são de ordem física ou psicológica, ou ambas, a disposição dos parceiros para discutir e procurar soluções para o problema é essencial. Ajuda para alcançar essa soluções podem ser conseguidas com um médico, enfermeiras acostumadas com casos de lúpus e/ou artrite, psicólogos e/ou de terapeutas sexuais. A sexualidade é melhor encarada quando vista como uma forma de comunicação entre casais que os ajuda a apreciar um ao outro, aprofundando sua intimidade em um relacionamento amoroso. Algumas vezes, se essa comunicação não ocorre, uma das partes do relacionamento pode sofrer. As soluções podem ser encontradas pelo paciente e seu parceiro com um certo esforço, mas é necessário que haja esse esforço.

13 comentários:

elvira carvalho disse...

Muito bom este post que pode esclarecer muitas dúvidas em doentes e familiares.
Agradeço a sua visita ao meu cantinho.
Um abraço e tudo de bom

Claudia Madureira disse...

Muito esclarecedor o post.

Desde já agradeço a tua visita ao meu blogue.

Desejo-te uma boa semana e beijinhos.

O DESESPERO,QUANDO S DESCOBRE Q TEM LUPUS... disse...

AMEI...MUITO OBRIGADA!!!

cleyde nascimento disse...

Sou lúpica e estou sempre em busca de informações sobre a doença.
As in formações aki contidas são de grande importância.
Parabéns!

Anônimo disse...

e muito bom saber que as pessoas estão com agente e dando carinho beijo para todos.

veronica disse...

estou muito cansada já não aguento mais tentar lutar e muitas pessoas com meu namorado não deixa eu para de lutar quando eu paro para pensar ele esta certo vou lutar

beijo pra todos

Anônimo disse...

meu marido tem lupos temos uma filha ela parece perfeita queria sabe se essa doeça PODE AFETYAR ELA
GRACE.KELLY2310@HOTMAIL.COM FACEBOOK

Maria Jose Mota disse...

A um ano descobri que tenho lupus e artrite reumatoide. Ainda nao aprendi a conviver com a doença porque me tirou de todas as atividades que gostava de fazer inclusive a de estar em sala de aula com meus alunos. Me sinto uma pessoa incapacitada das minhas atividades. E para completar perdi minha mãe e mexeu comigo mais ainda sempre que vou ao medico lembro muito dela porque ela se preocupava muito comigo, sei que preciso superar todas essas dificuldades e esses problemas para o bem do meu tratamento porque o lado emocional me deixa para baixo,agora estou com trombose mas creio que vou vencer essa batalha porque confio em Deus e é Ele que tem me dado forças para vencer todos esses obstaculos.

melhorando o nivel de inglês disse...

Muito importante seu esclarecimento sobre esse assunto.

Muito obrigado.

João Garcez

Anônimo disse...

É muito bom esses esclarecimento mas pra todos que estão passando por essa doença quero falar que o senhor jesus levou todas as nossas emfermidade é podemos cre que ele e quem nus dar forca pra vencer no nome dele eu desde 2006 que venho lutando mas Deus esta sempre comigo entregue o teu caminho ao senhor é comfia nele aceite o senhor jesus como seu salvador.fique com Deus;ele ti ama

Anônimo disse...

Bem interessante sua análise sobre a questão diminuição da libido e daí com o desinteresse, a questão da ereção de certa forma prejudicada com o uso dos corticoides e antidepressivo. Posições certas e verdadeiras.
Está complicado para quem nunca teve esse problema antes e desenvolveu lúpus a 3 anos como diagnóstico definitivo.

Werlison Lima disse...

Sou portadora de lúpus há 4 anos estou passando por dificuldade na minha vida sexual muito bom saber sobre esse conselhos.


ELIANA LINS disse...

Quero dizer que diante da dificuldade em relaçao ao sexo, o melhor é conversar com seu parceiro para que entenda sobre sua dificuldade.E principalmente que ele te apoie e entenda.