sábado, 5 de setembro de 2009

HERPES ZOSTER e FIBROMIALGIA

Reumatologia/Doenças Auto-Imune
Dores do Herpes Zoster (ou cobreiro) e fibromialgia

O herpes zoster é uma doença viral, auto-limitada, causada pelo mesmo vírus causador da varicela (catapora), tendo um ciclo evolutivo de cerca de 15 dias. Antes do surgimento das lesões na pele, ocorrem no local sintomas dolorosos ou parestésicos (formigamento, pontadas, "pele sensível" ou queimação) devido à inflamação do nervo. Nesse período as pessoas com fibromialgia, que já têm uma sensibilidade à dor, ficam mais atacadas de dores pelo corpo. No decorrer da doença os sintomas dolorosos podem se agravar tornando-se muitas vezes insuportáveis, principalmente, quando atinge pessoas mais idosas. A dor melhora gradativamente, mas, nas pessoas idosas, pode permanecer por meses ou anos após o final do quadro cutâneo, caracterizando a chamada “neuralgia pós-herpética”. Essa dor é diferente da fibromialgia porque só doi, e muito, um trajeto de um nervo, sendo que na fibromialgia as dores são pelo corpo todo. Outra diferença é que acomete homens e mulheres, na mesma proporção, sendo mais frequente na idade adulta e nos idosos.

As manifestações cutâneas iniciam-se por vesículas que podem confluir formando bolhas contendo líquido transparente ou ligeiramente amarelado, seguindo o trajeto de um nervo. Em alguns dias, as lesões secam e formam crostas que serão liberadas gradativamente deixando discretas manchas no local que tendem a desaparecer. As lesões da pele tem involução espontânea.

Na grande maioria das vezes, as manifestações limitam-se a um lado do corpo, por onde passa o nervo atingido, sendo raro o acometimento bilateral. Na fibromialgia as dores são em ambos os lados do corpo. Os nervos atingidos, com maior frequência, são os intercostais, mas outros nervos podem ser afetados. O tratamento do herpes é feito com anti-viróticos, e deve ser iniciado desde o aparecimento dos sintomas iniciais visando evitar o dano irreparável ao nervo atingido que resultará na neuralgia pós-herpética. Medidas “folclóricas” de rezas, benzimentos e outras práticas devem ser evitadas.

5 comentários:

direitinho disse...

Bom dia e bom Domingo para si e os seus familiares e amigos.
Li atentamente o seu estudo e gostei.
Parece que existem dois tipos de herpes. Um muito frequente é o labial que aparece na boca e que se torna doloroso durante alguns dias. Alivia com pomadas próprias.
Não sei o nome desse medicamento.
O outro tipo de herpes a que chamam cobrão também é muito frequente e sei por experiencia que as rezas se forem bem feitas são melhores que muitos medicamentos.
Comecei com um vermelhão na zona lombar até à nuca. Num dia nem suportava a dor e o mau estar.
A minha sogra e o meu filho rezaram a oração em cruz e tudo passou sem deixar marcas.
Veja neste blogue as Orações da Avó Carminda.

Tony Madureira disse...

Olá,

Como estás?

Mais um texto pedagogico.

Bjs

elvira carvalho disse...

Como vai amiga. Tudo bem?
Herpes Zoster, conhecido em Portugal como Zona e a quem o povo chama de cobrão. Meus pais tiveram os dois. Acredita que eles acreditavam que era peçonha de uma osga?
Meu filho teve também em 2001. Nos pés. Nem conseguia caminhar.
Um abraço e tudo de bom

jane disse...

Eu sou portadora de uma doença crônica, conhecida como DMTC - Doença mista do Tecido Conjuntivo, vivo em crises, dores fortíssimas, mesmo fazendo o tratamento certinh, façoa Pulsoterapia e tomo muitos corticóitos e outros remédios. Já tive 03 pneumonias e sobrevbi, de vez em quando me dá essa Herpes Zortes, que dói muito, começa atras na coluna e vá até o umbigo, uso uma pomada Aciclovir e tomo os mesmos comprimidos Aciclovir, é ótimo, a doença vai embora logo.

Anônimo disse...

Estou assustada, aos 16 anos fui diagnosticada com " fibrio", agora aos 30 estou com herpes ... Doi muito de não conseguir andar :(