quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

OUTRAS DOENÇAS REUMÁTICAS III

SÍNDROME DE REITER
O que é?
A síndrome de Reiter (SR) é a artrite mais comum no homem jovem e é também freqüente em mulheres.
Como se desenvolve?
O modo clássico de apresentação da síndrome ocorre cerca de duas semanas após uma infecção genitourinária ou intestinal. Como não se consegue cultura positiva do material articular, não se poderia chamar de artrite infecciosa e criou-se o nome de artrite reativa para estas situações em que há artrite ao mesmo tempo ou logo a seguir a infecção recente em um local que não seja articulação.
Em nosso meio, valendo para o hemisfério sul, a porta de entrada genital é muito mais freqüente. Surge subitamente artrite com preferência de localização em membros inferiores e com distribuição assimétrica entre os pares de articulações assim como acometimento de algumas inserções tendinosas, sendo comum no tendão de Aquiles. Inflamação dos dedos dos pés é bastante característico, assumindo o aspecto de dedos em salsicha.
O que se sente?
Pode haver dor na coluna e em ligamentos ou articulações da bacia. Com menor freqüência, mas ajudando a estabelecer o diagnóstico, pode haver artrite entre esterno e costelas e nas articulações das clavículas com os ombros. Em geral não há febre e o estado geral é bom, mas há pacientes bastante comprometidos na fase inicial da doença.
Conjuntivite pode preceder ou acompanhar a crise articular. Outra inflamação ocular é uveíte. Ocorre em alguns pacientes com SR, podendo ser manifestação isolada tardia, sugerindo persistência de infecção. Quando a uveíte não é controlada adequadamente pode levar a distúrbio irreversível de visão.
Podem ocorrer lesões cutâneas semelhantes a psoríase nas regiões plantares e manchas eritematosas no céu da boca.
Como se faz o diagnóstico?
O diagnóstico é clínico. É necessário reunir os dados clínicos característicos com a presença de infecção recente. Deve-se procurar infecção: além de exames laboratoriais que pesquisam a presença da chlamydia trachomatis(CT) é importante que os pacientes sejam avaliados por urologista ou ginecologista.
Avaliação genital: na mulher, exame ginecológico confirmatório e acompanhamento são obrigatórios. No homem, na presença de secreção uretral facilmente percebida podemos dispensar o urologista. Entretanto, havendo suspeita de cronicidade nas primeiras consultas ou mais tarde, avaliação da próstata é indispensável, pois enquanto houver infecção o tratamento deve prosseguir.
O problema surge quando não se tem dados concretos para infecção recente.
Podemos estar frente a:
infecção recente sem sintomas;
infecção antiga e a Síndrome de Reiter foi desencadeada agora;
síndrome de Reiter crônica não diagnosticada.

6 comentários:

direitinho disse...

Olá boa noite querida amiga.
O tempo tem sido pouco para tudo o que pretendo e os problemas neste inicio do ano tambem tem chegado.
Gostei das suas palavras que lhe agradeço.
Felizmente não temos tido destas doenças aqui em casa, mas ainda assim gosto de ler e ir aprendendo com as principais caracteristicas.
Nos meus 61 já me vai atacando outro tipo de caruncho dos ossos.
Desde que deixei o tabaco, o café e todas as bebidas alcoólicas engordei 20 quilos e agora o peso na coluna vai deixando algumas maleitas.
Prefiro o peso a mais do que o tabaco e as bebidas. Hoje tenho outra qualidade de vida. Tambem sei que não como mais agora do que quando fumava.
Preciso fazer mais desporto.
O meu Médico diz:
-mais no sapato e menos no prato.
O meu trabalho é à secretária e depois quando saímos pouco tempo nos sobra para tratar das nossas coisas e fazer uma caminhada.
Quando vier o Verão os dias serão maiores e nós vamos caminhar todos os dias.
Por aqui é tudo.
Votos de uma boa semana.

João Videira Santos disse...

é em vôo largo que chego até aqui...

em vôo cruzo horizontes, em pleno azul, chego mais além onde a esperança é verde e ri nas cores da natureza...

agradeço a visita, o comentário, quanto a Florbela, aqui deixo um curtissimo excerto das suas visões poéticas...

"ser poeta é ser mais alto, é ser maior / do que os homens! morder como quem beija! / é ser mendigo e dar como quem seja / rei do reino de aquém e de além-dor!"

beijo

elvira carvalho disse...

Minha amiga o tempo não tem dado para visitas. Meus pais estão os dois acamados, a mãe com um AVC, o pai com 90 anos, foi agora amputado de uma perna. E nasceu a minha primeira neta esta semana.
Imagina como está a minha vida a nivel de tempo?
Um abraço e bom fim de semana

Deusa Odoyá disse...

Olá minha nova amiga.
parabéns , mais um trabalho de divulgação pública.
Eu, mesma não sabia sobre essa doença.
Adorei seu cantinho.
Voltarei mais vezes.
Uma semana de muita paz, amor e luz.
Regina Coeli.

DE-PROPOSITO disse...

Felizmente que hoje já se sabe muitas coisas sobre as doenças.
Fica bem.
Felicidades.
Manuel

Claudia Madureira disse...

Ola Êidina,

Passei para saber como estás e para te desejar um boa semana.

Beijinhos